Torcer para o Londrina requer um esforço extra

londrina

Por Cláudio Osti

Começar uma competição tropeçando não é exatamente novidade no Londrina Esporte Clube. Ontem, por exemplo, o Tubarão perdeu para o Cascavel, no Estádio do Café, por 1 a 0 para o FC Cascavel, pela segunda rodada do Campeonato Paranaense de Futebol.

Em dois jogos atuando em casa, seis pontos em disputa, o LEC conquistou apenas um. Unzinho.

Reinaldo Furlan, comentarista, diz que por incrível que pareça, o Londrina não jogou mal, assim como no jogo contra o Azuriz. “Entretanto, à espera de Junior Dutra ou Pitbull – atacantes contratados e que ainda não estrearam – o time sofre nas finalizações, aliás tem usado os chutes de fora da área, enquanto não tem um grande finalizador dentro da área. O técnico Edinho fez o time jogar, mas isso não é suficiente para fazer o time ganhar. O Estadual tem servido para os garotos jogarem e são muitos em ação e claro, a responsabilidade por somente um ponto ganho em seis disputados dentro de casa, não pode ser creditada a eles”, disse o comentarista.

fotos Ricardo Chicarelli – Lec

É verdade, é cedo para cobrar os meninos, mas nunca é cedo ou tarde demais para cobrar a política do gestor do Londrina, o empresário Sérgio Malucelli. Há mais de uma década dirigindo o futebol do LEC, mantém um padrão desde sempre: apostar em jogadores desconhecidos, muitos lesionados e tentando se recuperar, ou como barriga de aluguel de grandes times. Neste quesito, já passaram por aqui Leo Pelé, Arthur, Ayrton Lucas e vários outros. E quando a aposta em desconhecidos dá minimamente certa, vende rapidinho. Como é o caso de Caprini, destaque da última temporada.

A política é, a cada ano, remontar o time praticamente inteiro. Da equipe que terminou a série B em 2022, menos de 10 ficaram. Até o novo grupo ter um minimo de entrosamento, de entendimento do que deseja o técnico, demora bastante. E isso é natural. E entra ano, sai ano, e cobra-se sempre a paciência da torcida.

O fato é que é sempre uma aposta. E quem aposta, seja no jogo do bicho, na megasena ou na timemania, o normal é você perder a aposta, e não ganhar.

A forma de conduzir o Londrina, porém, transforma tudo em um circulo vicioso bem negativo. As equipes pouco ou quase nada se identificam com a cidade e seus torcedores; o gestor sempre parece cultivar uma distância abissal com os torcedores e a cidade e, para fechar o circulo, nem a cidade e nem os torcedores se identificam com o time e, em especial com o gestor.

São tantos desencontros que torcer para o Londrina, algo que deveria ser natural para todos nós orgulhosos pés-vermelhos, requer um esforço extra.

É uma pena, para todos nós.

Compartilhe

Escrito Por

Leia Também

Conselheiros do Londrina aprovam SAF com Squadra Sports

Na manhã deste sábado (20), em Reunião Extraordinária realizada na sede administrativa do Estádio Vitorino...

Londrina Futsal estreia contra o Pato Branco em casa pela Liga Feminina 2024

Renan Oliveira/N.Com Iniciando sua trajetória na edição 2024 da Liga Feminina de Futsal (LFF), a...

Londrina estreia nesta segunda na Série C decidido a subir para a B

por Rodolpho Pinduca Agora é pensar na série C, mas aspirando subir para a B...

Deixe seu comentário!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

VEC TV

Londrina x Coritiba - Melhores momentos
Londrina x Coritiba - Melhores momentos
07:33