Roland Garros, despedida de Guga, eu estava lá

Roland Garros, despedida de Guga, eu estava lá

Por Edson Ferracini

Com a abertura, neste domingo (22), de mais uma edição de Roland Garros, lembro com saudade e muitos detalhes, da primeira vez que fui ao Aberto da França, em 2008.

A primavera da Cidade Luz versava, por todos os seus cantos, a luta de 128 homens e 128 mulheres em suas buscas pela glória.

Os comercias de televisão, as revistas, os jornais e os outdoors espalhados pela cidade, nesta época do ano, como uma febre, vivem intensamente a agitação e alegria que tomam conta da metrópole mais charmosa do planeta.

E esse pulsar pode ser sentido desde os bistrôs da Avenida dos Campos Elísios até os charmosos e históricos Cafés de Saint Germain-des-Préss.

Em Paris, na segunda quinzena de Maio, só se fala do jogo da terra batida que é jogado no lendário saibro vermelho de Roland Garros. E as partidas são magníficas.

David Foster Wallace, jovem escritor americano, que suicidou-se em 2008, ou seja, naquele ano, escreveu um ensaio maravilhoso a partir de um jogo memorável.

Um dos parágrafos do texto diz:

“O tênis na TV está para o tênis ao vivo, como um vídeo pornográfico está para a real sensação do amor”.

E uma das maiores emoções que tive nesta minha já longeva vida ligada ao esporte, foi ter visto, naquele ano, as duas ultimas partidas da carreira profissional do Guga, o nosso manezinho da ilha. Vou narrar aqui a última, que para mim foi a mais emocionante.

Despedida de Guga, inesquecível

Foi nas duplas com seu parceiro francês Sebastien Grosjean, na pequena quadra 3 lotada, pulsando, fervendo…A “francesada” de um lado gritava em uníssono::

  • Allez Gugá…Allez Gugá…Allez Gugá!!!!

Do outro lado da quadra a “brasilerada” respondia aos berros:

  • Olê, Olê, Olê, Oláaaa…. Gugá, Gugáaaa!

As lágrimas desceram! Eu estava lá! Eita!

Escrito Por

Leia Também

Palmeiras abre 3 pontos do segundo colocado

Por Rodolpho Pinduca Palmeiras venceu mais uma, e não foi um jogo qualquer. O Verdão...

Entrevista exclusiva com Felipe Lessa, autor de Destemidos de Azul e Branco, a história do Tubarão a partir de personagens

Veja a entrevista que o VEC, no quadro Paçoca Esportiva fez com o autor Felipe...

Arrasador, Londrina vence fácil o Guarani

Por Rodolpho Pinduca O Londrina Esporte Clube foi arrasador na noite de ontem jogando contra...

Deixe um comentário

{{ reviewsTotal }} Review
{{ reviewsTotal }} Reviews
{{ options.labels.newReviewButton }}
{{ userData.canReview.message }}

VEC TV

Destemidos de Azul e Branco, a história de quem faz a história do Londrina Esporte Clube
Destemidos de Azul e Branco, a história de quem faz a história do Londrina Esporte Clube
39:46