TUBARÃO: O IMPROVÁVEL SEMPRE…

0
78
Anderson Leite e Léo Passos marcaram os gols Alvicelestes. (Foto: Gustavo Oliveira/ Londrina Esporte Clube)

Por Murilovski Zambeta

 A história do Londrina Esporte Clube contempla uma série de situações improváveis e que fizeram (e fazem) o legado da agremiação.

 A vitória sobre o Coxa sábado, quando ninguém acreditava que, com um time cheio de problemas, desorganizado, inseguro e, pra piorar, com um jogador a menos desde os 16´ do segundo tempo, culminaria em uma virada antológica nos acréscimos, foi apenas mais um capítulo da série…

Foi assim na inesquecível campanha de 1977 (LEC se classificou na repescagem quando a diretoria sequer viajou com a equipe para Goiás, no jogo que levou a classificação para a fase seguinte), quando nem o mais fanático torcedor imaginaria que venceríamos alguns dos maiores clubes do país (Corinthians, Flamengo, Santos e Vasco) http://bloglondrinense.blogspot.com/2011/09/o-londrina-em-1977_10.html; na eliminação do Inter na Copa do Brasil de 1993, em pleno Beira Rio https://globoplay.globo.com/v/5860264/; Na vitória sobre o Cruzeiro da tríplice coroa (à época considerado o melhor time do país), na Copa do Brasil de 2002 https://www.youtube.com/watch?v=GJVTCudG_5I , na virada no paranaense de 2014, nos 4×1, de virada, sobre o Furacão https://globoplay.globo.com/v/3256939/ (o título de 2014 era esperado), e agora de novo contra o Coritiba.

 Sem dúvida há outros jogos inesquecíveis, mas esses me vieram a cabeça agora porque foram frutos da total incredulidade sobre o time. Também tem o lado reverso, ou seja, quando mais esperávamos, ou não acreditávamos em um revés, o time decepcionou (mas esses momentos não valem a pena o registro).

 Isso preocupa porque esse ano a improbabilidade tem sido uma constante: no paranaense, na 1ª fase do Brasileirão da série B, quando o técnico Alemão com um time de garotos nos deixou mais de 10 semanas no G4, e de quebra cravou a melhor campanha da história do time na Copa do Brasil.

Agora não está sendo diferente: tudo continua improvável.

  O técnico Tencati, até agora pelo menos, não conseguiu demonstrar nada que passe confiança de que temos um time competitivo, até porque a vitória contra o Coxa, em que pese o time tenha mostrado valentia, foi decorrente de duas falhas clamorosas da defesa reserva deles, não de méritos do esquema tático, domínio ou qualquer outro elemento de ordem técnica.

Mas tudo isso pouco importa porque, é justamente quando o improvável se apresenta é que o Tubarão escreve as linhas de maior grandeza de sua história e é por isso, e só por isso que eu voltei a acreditar.

 Por fim, por favor Tencati, esqueça o Alemão, pare de alfinetá-lo a cada entrevista, afinal ele, assim como você, tem o nome para sempre na história do clube (melhor campanha de todos os tempos na Copa do Brasil), foi um grande jogador e honrou nossa camisa, portanto, volte para sua prancheta e seus “encaixes”, reze muito (sim, Deus ajudou muito no sábado), pare de olhar para trás e siga em frente que será melhor para todos.

Deixe uma resposta