Recomeça o Brasileirão!

0
60
Domenec seguiu a torrente

Por Rogério Fischer

Parem tudo! Pelo que rolou nos últimos dias, é plausível afirmar que os campeonatos por aqui recomeçam do zero. Ao menos, recomeçam do zero a partir do ponto em que estão. Libertadores, inclusive. A epidêmica troca de treinadores promete virar tudo de ponta cabeça.

Na semana passada, o Corinthians caiu fora da Copa do Brasil, diante do poderoso América-MG. O São Paulo caiu fora da Sula Miranda, diante do poderoso Lanús-ARG. Até o simpático Santos perdeu na Copa do Brasil, diante do Ceará do Gordiola. O que fez, tudo isso, os palmeirenses superarem os finlandeses e se tornarem “o povo mais feliz do mundo”.

Mas tudo isso é passado. O trem virou de cabeça pra baixo, depois do Galo ter sapecado o Flamengo no Mineirão e o Inter ter derrapado diante do titubeante Coritiba em casa, na última rodada. O Flamengo deu um pé no traseiro do Torrent. E o Coudet aproveitou proposta do Celta de Vigo para cair fora deste país que troca de técnico como quem troca de uniforme.

Significa que dois dos principais candidatos ao título do Brasileirão chacoalharam o bambuzal no início do returno, e às vésperas das quartas-de-final da Copa do Brasil e das oitavas da Libertadores. Ninguém sabe o que pode acontecer agora.

Com Rogério Ceni, a tendência é o Flamengo aprumar o time, que é bom, e seguir favorito ao bicampeonato brasileiro. Muito disso vai depender, porém, justamente do primeiro desafio de Ceni à frente da equipe, que será nesta quarta, no jogo de ida da Copa do Brasil, e justamente contra o São Paulo, que Ceni defendeu por um século e meio.

E o São Paulo, que surpreendentemente não defenestrou Fernando Diniz mesmo depois do vexame na fase de grupos da Libertadores seguido de outro vexame na Sul-Americana, persegue, na Copa do Brasil, um título que nunca conquistou. E persegue, no Brasileirão, um título que não conquista há 12 anos. Com os times de ponta recomeçando do zero, é a chance do são-paulino finalmente gritar “é campeão” pelo WhatsApp – antes que o aplicativo morra.

O Galo, pelo jeito, continuará com a campanha ao estilo de Sampaoli: alternando jogos memoráveis com tropeços. A depender do que farão, a partir de agora, Flamengo e São Paulo, até o Grêmio de Renato Gaúcho e o Palmeiras de Abel Ferreira passam a sonhar com o Brasileirão-2020. De repente, até o Fluminense de Odair Helmann’s, que, assim como o Atlético-MG, só tem o Brasileirão para jogar.

Até o início de dezembro, ou seja, em três semanas, teremos as quartas-de-final da Copa do Brasil, as oitavas da Libertadores e um monte de rodadas do Brasileirão. É a partir disso que veremos quem tem garrafa vazia para vender até fevereiro de 2021.

Deixe uma resposta