Londrina Esporte Clube vai virar uma empresa S/A?

2
252

Sim, o Londrina Esporte Clube vai se transformar em um clube empresa.

Quando?

Ainda não há data, mas no começo desta semana foi dado o primeiro passo para isso. Durante reunião do Conselho Deliberativo foi formada uma comissão para estudar qual o melhor formato para transformar o Londrina em Sociedade Anônima.

Recentemente a discussão voltou ao Congresso Nacional com mais força pelas mãos do presidente da Câmara Federal Rodrigo Maia. Ele quer criar uma lei para que os times de futebol tenham algumas vantagens para se transformarem em empresas.

A ideia é criar uma estrutura para fomentar a criação dos clubes empresa, estimulando que os incentivos tributários que hoje beneficiam os clubes associativos, como os conhecemos hoje os principais times do Brasil, sejam transferidos para clubes empresa. Entre os clubes mais tradicionais do país, um dos primeiros interessados em aderir à nova formatação pode ser o Botafogo, do qual, Maia é torcedor.

As principais ligas de futebol do mundo já são assim. Inglaterra, Itália, Alemanha são alguns exemplos. Dos maiores orçamentos do futebol mundial, talvez apenas o Barcelona e o Real Madrid ainda são clubes associativos.

No Brasil, Botafogo de Ribeirão Preto, Bahia, Red Bull, Ferroviária, Azuriz, já são S/A. O Athletico Paranaense também está estudando uma forma de se transformar definitivamente em clube empresa.

Segundo o advogado Walter Bittar, torcedor do Londrina, e integrante do Conselho, este será mesmo o caminho de muitos clubes brasileiros. “É uma forma de atrair investimentos da iniciativa privada, inclusive de fundos de pensão que nos últimos tempos perceberam este esporte como um bom negócio”. Segundo ele, do jeito que está hoje, o Brasil não consegue competir financeiramente nem com ligas menores como a do México e da China que já são clubes empresas.

Hoje o Londrina Esporte Clube tem um contrato com a empresa SM Sports que faz a gestão do futebol do clube. Parte da receita arrecadada com venda de ingressos, formação de jogadores, etc, é destinada ao clube associativo. O contrato com a SM vence no ano que vem e, por enquanto, diz o gestor Sérgio Malucelli, não há interesse em renová-lo.

Com a transformação do LEC em S/A, abrem-se as portas para que qualquer pessoa ou empresa possa investir no Londrina, inclusive a própria SM Sports, se Malucelli mudar de ideia.

2 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta