Futebol: do sonho ao pesadelo

0
26

Por Antônio Santiago

O sonho de oito entre dez meninos é ser jogador de futebol. A ideia é ser famoso, ganhar muito dinheiro e ajudar a família.

Esses meninos, pobres, na grande maioria, refletem as vontades de seus pais, que se miram em craques que saíram de baixo e deram certo, como Ronaldinho Gaúcho, Ronaldo Nazário, Neymar, Robinho e tantos outros.

Mas, alguém já disse que conseguir isso é como ganhar na loteria. A realidade mostra que a grande parte se perde pelo caminho. A última vez que estive em Londrina, conversei com um jogador que foi ao céu e caiu no inferno.

João Batista, excelente zagueiro, que foi ídolo no Londrina e Grêmio de Maringá. João foi revelado no Tubarão, no começo da década de 1970 e foi para o Galo em 75. Ganhou muito dinheiro, mas sem estrutura gastou tudo.

Era querido, conhecido nas ruas, paparicado. Seus olhos se encheram de lágrimas ao relembrar tudo isso. João estava trabalhando de servente de pedreiro. Aposentou-se com um salário anos luz de distância, dos recebidos pelos craques dos grandes times. Complementa o orçamento com uma escolinha de futebol comunitária, onde ensina aos pretensos craques, além do futebol, que o caminho é o estudo, pois só talento não leva a lugar nenhum.

É preciso cabeça no lugar, e sorte, muita sorte.

Deixe uma resposta