Cruzeiro supera crise e abre boa vantagem diante do Galo na Copa do Brasil

0
104

Cruzeiro não toma conhecimento do maior rival e vence por 3 a 0 no Mineirão. As equipes voltam a se enfrentar na próxima quarta feira (17)

Por: Junior Azevedo

Mesmo com a enorme crise financeira e com investigações policiais nas vésperas do jogo, o atual bicampeão da Copa do Brasil passou por cima do rival Atlético-MG por 3 a 0, no Mineirão. Com uma noite inspirada do atacante Pedro Rocha, os comandados do técnico Mano Menezes foram cirúrgicos e realizaram uma grande partida. Os gols do Cruzeiro foram marcados por Pedro Rocha, Thiago Neves e Robinho.

A equipe cruzeirense estava há nove jogos sem vitórias e, mostrou a todos, que “Clássico é Clássico e vice-versa”. Com a enorme vantagem, o Cruzeiro pode perder por até dois gols de diferença na próxima partida para avançar às semifinais. O Atlético precisa vencer por quatro gols de diferença para garantir a vaga de forma direita. Uma vitória por três gols de vantagem leva a partida para os pênaltis. O jogo da volta será na próxima quarta (17), às 19:15, no Independência.

Devido ao jejum de vitórias e a grave crise financeira cruzeirense que liderou as manchetes dos jornais nos últimos dias, o Atlético-MG era apontado com um ligeiro favoritismo no clássico de hoje. Porém, o Galo não entrou em campo, a equipe do técnico Rodrigo Santana foi apática, e aceitou muito facilmente a blitz cruzeirense. Os gringos, Cazares e Chará, que vinham sendo os maiores destaques da equipe na temporada, tiveram muito abaixo do esperado. Para piorar, José Welison, Elias e Réver falharam nos dois últimos gols.

Já o Cruzeiro entrou pressionado na partida, o clube passou por um caos financeiro nos últimos meses e os jogadores mantiveram-se focados somente na partida. A presença em massa da torcida cruzeirense no último treino foi um combustível para os atletas, que alegaram, nos últimos dias, que não há atrasos nos salários. Em campo, o Cruzeiro foi cirúrgico, e aproveitou a noite inspirada de Pedro Rocha para conquistar um grande resultado e espantar a crise.

O Atlético-MG começou o jogo com mais volume de jogo, buscando criar as primeiras chances de gols. Em alguns momentos, o Galo deixou muito espaço no meio de campo, e foi surpreendido pelo Cruzeiro. No primeiro lance, Pedro Rocha recebe, dribla Elias e acerta um chutaço de canhota, 1 a 0 aos 12 minutos do primeiro tempo. Aos 25 minutos, Pedro Rocha aproveita lambança da zaga atleticana e faz linda jogada de velocidade, dribla o goleiro Victor e passa pra Thiago Neves apenas empurrar para o gol, 2 a 0.

Surpresa na escalação, Pedro Rocha foi o grande nome da partida. Foto: (Reprodução/globoesporte.com)

O Atlético estava muito desorganizado no meio de campo. José Welison e Elias foram muito mal, além disso, Réver também foi mal e falhou de forma grotesca no segundo gol cruzeirense. O Galo não tinha forças para furar o forte bloqueio defensivo do Cruzeiro. No segundo tempo, Otero reestreou com a camisa do Atlético-MG, e até fez boas jogadas na partida. Porém, foi o Cruzeiro que balançou as redes mais uma vez. Após mais uma falha, desta vez, de Elias, Marquinhos Gabriel roubou a bola e passou para Robinho, o meia bateu duas vezes para superar o goleiro Victor, 3 a 0.

Foto: (Reprodução/globoesporte.com)

Com o terceiro gol, o Galo não teve mais forças para reagir. Nos contra-ataques, o Cruzeiro ficou mais próximo do quarto gol do que o Atlético do primeiro. Foi um grande jogo do Cruzeiro, cirúrgico, com a cara do Mano Menezes. Já o Atlético jogou muito abaixo e não teve poder de reação. 3 a 0 merecido para os cruzeirenses e a equipe caminha rumo ao tricampeonato da competição.

FICHA TÉCNICA:

Cruzeiro
Fábio; Lucas Romero, Dedé, Léo e Egídio; Henrique, Ariel Cabral e Robinho (Fred); Thiago Neves (David), Marquinhos Gabriel e Pedro Rocha (Jadson)
Técnico: Mano Menezes

Atlético-MG
Victor: Patric, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; José Welison (Jair), Elias e Cazares (Geuvânio); Chará, Luan (Otero) e Alerrandro
Técnico: Rodrigo Santana

Local: Mineirão (Belo Horizonte-MG)
Arbitragem: Raphael Claus
Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse e Danielo Ricardo Simon Manis
Público Pagante: 46.113 torcedores
Renda: R$ 2.190.896,00
Gols: Pedro Rocha, aos 13 do primeiro tempo, Thiago Neves, aos 27 do primeiro tempo, Robinho, aos 9 do segundo tempo (Cruzeiro)

Fale com o jornalista: [email protected]

Me sigam nas redes sociais:
Facebook
Twitter
Instagram

Deixe uma resposta