Copa do Brasil: Palmeiras vence, Grêmio e Athlético tropeçam jogando em casa

0
128

Verdão bate o colorado jogando no Allianz Parque e abre vantagem. Grêmio e Bahia empatam em 1 a 1 em Porto Alegre-RS, mesmo placar de Athlético e Flamengo em Curitiba-PR

Por: Junior Azevedo

O futebol brasileiro voltou pra valer com três partidas de ida das quartas de finais da Copa do Brasil. Nos três jogos, poucos gols, apenas cinco. Somente o Palmeiras venceu e aproveitou o fator casa. Grêmio e Athlético empataram jogando em seus domínios e terão que definir o futuro na competição fora de casa.

GREMIO 1X1 BAHIA

Em Porto Alegre-RS, Grêmio e Bahia empataram por 1 a 1 na Arena do Grêmio para 28 mil torcedores. Everton Cebolinha sofreu e converteu pênalti a favor dos mandantes aos 45 minutos da primeira etapa. O Bahia chegou ao empate aos três minutos da etapa final com Gilberto. As equipes voltam a se enfrentar na próxima quarta (17), às 19:15, na Arena Fonte Nova.

De volta ao Grêmio após o título da Copa América, o atacante Everton Cebolinha balançou as redes de pênalti. Foto: (Reprodução/Wesley Santos, Agência Press Digital)

Como esperado, Grêmio e Bahia realizaram um grande jogo em Porto Alegre-RS. Repetindo as boas atuações diante do São Paulo-SP, o tricolor baiano jogou bem postado defensivamente, explorando os contra-ataques pelos lados do campo com Artur e Elber. O tricolor gaúcho foi melhor na primeira etapa, tendo mais volume de jogo e criando as melhores oportunidades. O goleiro Douglas Friedrich fez duas grandes defesas e o meia Jean Pyerre mandou uma bola na trave.

No finalzinho do primeiro tempo, Everton Cebolinha recebeu um ótimo lançamento, invadiu a área e foi derrubado pelo goleiro da equipe baiana. O próprio atacante bateu para abrir o placar. Pelo o que foi a primeira etapa, um resultado até justo. O Bahia atacou muito pouco, além disso, cedeu muito espaço ao Grêmio. Porém, a equipe voltou bem melhor na segunda etapa .

Logo aos três minutos, Artur cobrou escanteio, Moisés desviou e Gilberto completou para o gol e empatou a partida. Uma ducha de água fria para o Grêmio na gelada Porto Alegre-RS. O jogo foi mais equilibrado na segunda etapa, com chances para ambos os lados. Os mandantes tinham dificuldades na armação de jogadas, só a velocidade de Everton Cebolinha não era o suficiente.

Por insistir em André, a torcida vaiou o técnico Renato Gaúcho, algo raro de se ver com o maior ídolo da história do clube. André saiu apenas aos 33’2T, na terceira substituição do clube na partida, para a entrada de Felipe Vizeu, que se machucou com apenas sete minutos e deixou o Grêmio com um a menos. Aos 43’2T, Artur perdeu a melhor chance da etapa final para o Bahia ao ficar cara a cara com Paulo Victor. O atacante do tricolor baiano bateu por cima do gol.

Com o empate jogando em casa, o Grêmio terá de buscar a classificação longe dos seus domínios. A equipe de Renato Gaúcho vem tendo dificuldades em vencer partidas fora de casa nesta temporada. Já o Bahia conquistou um excelente resultado e, apostará nas boas atuações em casa para eliminar mais um gigante nacional e avançar às semis. A temporada do Bahia é surpreendente. Que trabalho do Roger Machado.

ATHLÉTICO PARANAENSE 1X1 FLAMENGO

Em Curitiba-PR, Athlético Paranaense e Flamengo empataram por 1 a 1 na Arena da Baixada para 23 mil torcedores. Os gols saíram no segundo tempo. Léo Pereira abriu o placar para o furacão aos quatro minutos. Gabigol empatou para o Mengão aos 14. A partida foi marcada por uma arbitragem polêmica, com o VAR atuando em três gols anulados dos mandantes. A partida marcou a estreia de Jorge Jesus no comando do Flamengo. As equipes voltam a se enfrentar na próxima quarta (17), às 21:30, no Maracanã.

Léo Pereira comemora o gol do Athlético diante do Flamengo. Foto: (Reprodução/UOL)

Marcado por muita polêmica com a arbitragem, Athlético e Flamengo fizeram o melhor jogo da noite. No primeiro tempo, domínio total do furacão, sempre muito forte jogando em casa. A equipe paranaense parou por duas vezes no goleiro Diego Alves e viu o VAR anular dois gols de Marco Rúben. Ambos, bem anulados pelo árbitro de vídeo. O lance mais polêmico teve como protagonista, Diego Alves. O goleiro agarrou a bola com as mãos fora da área, o lance não foi visto pelo árbitro Anderson Daronco e nem pelo VAR. Era lance de expulsão para o arqueiro flamenguista, o furacão foi prejudicado.

O lance não foi visto pela arbitragem e gerou muita polêmica na Arena da Baixada. Foto: (Reprodução/Youtube)

No segundo tempo o furacão continuou melhor e abriu o placar logo aos quatro minutos. Nikão bateu escanteio, William Arão desviou para trás e Léo Pereira balançou as redes. Após primeiro tempo abaixo, o Flamengo mostrou melhoras na segunda etapa. Aos oito minutos, Gabigol ficou cara a cara com Santos pela segunda vez no jogo e desperdiçou. Três minutos depois, Marcelo Cirino foi derrubado dentro da área. Daronco consultou o VAR, e após muita demora, marcou falta de Marco Ruben em Rodrigo Caio antes da bola sobrar para Cirino. Decisão acertada pela arbitragem.

Após oito minutos para consultar o VAR, o Flamengo aproveitou para abrir o placar. Após arremesso lateral de Renê, Gabigol ganhou a disputa com Léo Pereira e tocou por cima do gol de Santos para empatar. O mesmo Gabigol teve uma grande oportunidade de virar o jogo dois minutos depois, de cabeça, mas desperdiçou. Após sentir o gol do Flamengo e ficar um pouco retraído, o furacão foi aos poucos retomando o controle da partida. Cirino chegou a marcar o segundo gol aos 38 minutos, porém, o gol foi anulado corretamente pelo VAR.

Jogadores do Flamengo comemoram o gol de empate na Arena da Baixada. Foto: (Reprodução/UOL)

Após o apito final do árbitro, os jogadores e a diretoria do Athlético reclamaram e muito da arbitragem. Em relação aos três gols anulados e a marcação da falta de Ruben em Rodrigo Caio, o uso do VAR foi correto e acertado. O furacão tem muita razão em reclamar do lance do goleiro Diego Alves, que seria expulso e, com toda a certeza, o jogo seria outro. Porém, mesmo com as baixas de Renan Lodi (negociado) e Paulo André (aposentado), o furacão se comportou bem e mereceu um resultado melhor.

Na estreia de Jorge Jesus, o Flamengo foi mal na primeira etapa e melhorou na segunda. O ousado treinador português deixou o meio de campo do mengão muito exposto, dando espaço ao Athlético trabalhar a bola com facilidade. O portugues corrigiu o erro na etapa final e o Flamengo foi mais equilibrado, principalmente após as entradas de Diego e Everton Ribeiro. Uma coisa podemos dizer: Estrear diante do Athlético fora de casa e não perder, é uma boa estreia.

O técnico português Jorge Jesus estreou pelo Flamengo diante do Athlético Paranaense pela Copa do Brasil. Foto: (Reprodução/globoesporte.com)

PALMEIRAS 1X0 INTERNACIONAL

Em São Paulo-SP, o Palmeiras bateu o Internacional por 1 a 0 diante de 36 mil torcedores no Allianz Parque. O gol do verdão foi anotado por Zé Rafael ainda na primeira etapa. Com a vitória, o Palmeiras jogará pelo empate no confronto de volta, que será realizado na próxima quarta (17), às 21:30, no Beira Rio. Já o colorado, terá que vencer a partida caso queira avançar às semis.

Zé Rafael comemora o gol da vitória do Palmeiras diante do Inter. Foto: (Reprodução/globoesporte.com)

Palmeiras e Inter realizaram uma partida praticamente idêntica ao jogo válido pela terceira rodada do Brasileirão deste ano. Na ocasião, o verdão venceu pelo mesmo placar e abrindo o marcador ainda na primeira etapa. Após o gol, a equipe do Felipão até teve oportunidades de ampliar e praticamente não foi ameaçado pelo adversário. Os mandantes priorizaram segurar o placar. Foi o mesmo filme no confronto da Copa do Brasil.

Para não ser tão rigoroso, o Palmeiras foi um pouquinho melhor que naquela partida, porém, a postura foi idêntica. O verdão sempre começa em cima, firme, forte e criando boas oportunidades. Com o gol de Zé Rafael após cruzamento de Bruno Henrique aos 19 minutos da primeira etapa, o verdão se retraiu. Mesmo sem forçar, o Palmeiras criou oportunidades de marcar o segundo e garantir um placar melhor para a partida de volta. Porém, o verdão não fez muita questão para isso, mesmo tendo capacidade para este objetivo. A torcida espera que, esta postura, não vire arrependimento.

Já o Internacional também foi idêntico ao outro confronto. A equipe praticamente não incomodou o goleiro Weverton e a zaga palmeirense. Principal esperança dos colorados para a partida, o atacante Paolo Guerrero praticamente não relou na bola. O Inter foi muito mal na criação de jogadas, muito pela forte marcação e, também pela péssima atuação de Nonato e Patrick. Nem mesmo D’alessandro, que entrou na segunda etapa conseguiu mudar o cenário.

Paolo Guerrero foi em ação diante do Palmeiras. O atacante praticamente não tocou na bola durante a partida. Foto: (Reprodução/UOL)

Para reverter o placar, o Internacional terá que apresentar um futebol totalmente diferente. Para isso, o treinador Odair Hellmann aposta no belo retrospecto da equipe atuando no Beira Rio nesta temporada para furar a forte defesa do Palmeiras. Vale lembrar que o verdão perdeu apenas duas partidas no ano e vem em grande fase. Será uma missão bem difícil para os colorados.

Fale com o jornalista: [email protected]

Me sigam nas redes sociais:
Facebook
Twitter
Instagram

Deixe uma resposta