Conheça os planos de Felipe Prochet à frente do Londrina Esporte Clube

1
838

O eterno presidente do Londrina Esporte Clube, Agostinho Miguel Garrote, dizia que enquanto ele estivesse vivo, o Tubarão não morreria.

Felipe Prochet – foto Roberto Custódio

Ele cumpriu a promessa. Enquanto esteve nesta terra fez de tudo para manter o time respirando. Ele foi um dos muitos que contribuíram para que o Londrina se transformasse em um dos mais respeitados times do País.

Apesar da crise momentânea que o clube atravessa, há planos importantes para a equipe.

E este passo começa a ser dado em novembro quando será eleita a nova diretoria que comandará os destinos do clube em 2020/2022. O novo presidente deverá ser Felipe Prochet, que sucederá a Cláudio Canuto.

Em entrevista exclusiva ao VEC, Prochet disse que irá explorar alguns pilares para que o Londrina continue se fortalecendo.

1º – Teremos uma conversa com o atual gestor do futebol, o empresário Sérgio Malucelli. Temos um contrato de mais 1 ano, e se não for renovado, por contrato tem que estender por mais 6 meses o contrato com jogadores, para que a transição seja tranquila

2º É fundamental resgatar o apoio do torcedor!! O Londrina vem perdendo média de público. Na temporada 2015 a média foi de 6994 torcedores no estádio; na de 2016, 4046 (alguns jogos em Arapongas); em 2017, média de 3428; no ano passado, 2567 este ano, por enquanto média de 2781.

3º Queremos que o Sócio torcedor seja administrado pelo clube. A política do programa não pode sofrer alterações drásticas durante a temporada e nem ano/ano. Para ter sucesso ele precisa ser um projeto de médio e longo prazo

4º Estudo de compra pelo clube do sistema para o sócio e também para a comercialização dos ingressos online.

5º Vamos resgatar ações da época em que fui presidente e que acho que poderíamos remodelar. Ações com Concessionárias, locadoras, aplicativos de transporte, transporte público, empresas alimentícias, entretenimento, etc…

6º Contratação de um sistema de base de dados para categoria menores. Existem alguns programas que é possível acompanhar toda a evolução do atleta desde os primeiros anos até se tornar profissional.

7º Processo de transformação ou não em S/A. Contratação de uma empresa independente do clube para realização do estudo de viabilidade e processos que devam ser seguidos para transformar o clube em empresa. Não deve ter interferência nem do presidente/gestor/conselheiros.

8º Foco nas publicidades para motivar os torcedores através das redes sociais.

9º Como o projeto de arena VGD depende da mudança da lei municipal, o que não deve ocorrer tão cedo, vamos trabalhar para adequação mínima do estádio com algumas alterações como o Náutico realizou no Estádio dos Aflitos. Lançamento de um programa “De volta para casa” e realizar a captação através de um crowdfunding.

10º No mesmo molde estudo da captação para a execução do Centro de Treinamento.

11º Aperfeiçoar a ideia da Arena VGD. O projeto ainda conta com o interesse de possíveis parceiros. Apesar de ter diminuído em razão da demora na mudança da lei que permitirá a reforma do espaço.

12º CT para a categoria de base. Temos 3 locais para parceria de aluguel.

13º Parceria para programa oficial do clube em rádio local e possível transmissão dos jogos.

14º Execução da linha casual do clube, através da marca desenvolvida no passado.

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta