CHUVA DE GOLS

1
414
Por Guilherme Lima
A primeira rodada do Brasileirão animou o torcedor. Em dez jogos foram 33 gols, média de 3,3 por partida. Isso que ainda Avaí e Vitória ficaram no empate sem gols.O início foi avassalador e traz esperança na recuperação de jogos equilibrados e empolgantes. Claro que, para ter goleada, prevalece a superioridade de alguém, todavia, muitos confrontos devem ser estilo 3×2,4×3 e assim por diante.
O jogo mais equilibrado foi Fluminense 3×2 Santos. O mais louco, Bahia 6×2 Atlético-PR, com virada e tudo mais. Quem poupou não ganhou. Dos campeões estaduais, só o Coritiba venceu. Nenhum visitante ganhou e sete mandantes somaram três pontos. Chapecoense, Vitória e Atlético-MG foram os únicos que pontuaram fora.
A função de camisa nove também brilhou. Borja, Henrique Dourado, Wellington Paulista, Jô, Henrique Almeida e Walter balançaram o barbante. Além do Brasil, atletas argentinos, venezuelanos, colombianos e equatorianos marcaram gols. Cinco nacionalidades nas redes.
Dez clubes, metade, tem envolvimento direto com a tabela. Quatro tem vaga na Libertadores 2018, dois na Pré-Libertadores e quatro vão jogar a Série B em 2018. Os demais tem como consolo a vaga na Sulamericana do ano que vem.
Favoritos, candidatos ao rebaixamento e os fadados ao meio da tabela são os de sempre, porém, uma sequência de bons ou maus resultados inverte a lógica. Vitória de perna longa, como a de três pontos, fez o Internacional ir do G-4 ao Z-4 graças a tropeços e empurrou o Palmeiras ao título em 2016. O Brasileirão promete chuva de gols e fortes emoções! A sorte está lançada, porém, prevalecem a qualidade e a competência.