Chapecoense pede anulação do jogo contra o Goiás

0
15

Vai dar zica. O presidente da Chapecoense, Plínio David Neves, cujo time perdeu ontem para o Goiás, no Serra Dourada, por 3 a 1, ingressa hoje na CBF com pedido para que a partida seja anulada.

“Vamos entrar amanhã (11) com pedido de cancelamento da partida contra o Goiás. O que fizeram aqui hoje foi um absurdo”, disse Maninho à rádio Oeste Capital, de Chapecó.

Maninho confirmou que pedirá anulação da partida contra o Goiás (Foto: Sirli Freitas/Chapecoense)

O presidente da Chapecoense embasa seu pedido de anulação pelo primeiro pênalti marcado contra o time catarinense, de Márcio Araújo em Léo Sena, que contou com o auxílio do VAR e pela expulsão de Bruno Pacheco, aos 20 minutos do segundo tempo. Segundo o dirigente, as decisões do árbitro Igor Júlio Benevenutto não foram corretas e não tiveram critério.

“Eu fui defensor do VAR, mas é uma vergonha. A arbitragem foi tendenciosa. Se arrependimento matasse, eu estaria morto. O juiz foi incompetente. Esse futebol está comprometido. Há indivíduos despreparados. Uma arbitragem despreparada prejudicou a Chapecoense no pênalti que não existiu e depois ele deveria consultar o VAR no cartão vermelho. Vai ver que ele entrou na bola e pegou o jogador depois”, explicou Plínio David Nes Filho à emissora de rádio.“Desta maneira, a gente não pode fazer um futebol sério. O futebol está comprometido pela falta de competência. Estamos solicitando o cancelamento da partida pelos erros que ocorreram aqui no jogo de hoje. Alguém tem que começar a tomar atitude. Falo do despreparo do árbitro e de quem opera o VAR”, finalizou.

Com a derrota para o Goiás, a Chapecoense estacionou nos sete pontos e permaneceu fora da zona de rebaixamento, mas está empatada em pontos com o Fortaleza, que abre a zona do descenso. Sem muito tempo para trabalhar, o time catarinense terá o Fluminense, na Arena Condá, na próxima quinta-feira, pela última partida antes da parada da Copa América.

Deixe uma resposta