Cascavel cresce e se fortalece no futebol do Paraná

0
53
Assessoria de Imprensa Cascavel

Com 31 jogos no ano, 75% de aproveitamento em casa e sua primeira participação em uma competição a nível nacional, 2020 entra para a história do clube de Cascavel

A temporada do Futebol Clube Cascavel em 2020 foi a melhor do clube desde sua fundação. Os números não negam que a forma de administração da atual diretoria, pautada no planejamento e na organização dentro e fora do campo, pode sim alavancar significativamente o crescimento do clube em um futuro muito próximo.

“As dificuldades financeiras foram enormes, a pandemia tirou nossa torcida do estádio fazendo nossa renda diminuir ainda no fim do primeiro trimestre. Os custos aumentaram, tivemos também um adicional de 200 mil reais com exames de Covid-19, sem contar os valores investidos para os controles internos que tiveram que ser melhorados. Foi um ano muito difícil, mas felizmente conseguimos manter o equilíbrio das contas dentro do orçamento planejado para esta temporada”, falou o presidente do FC Cascavel, Valdinei Silva.

Disputando a principal divisão do Campeonato Paranaense e pela primeira vez o Campeonato Brasileiro da Série D, o FC Cascavel mostrou que tem tudo para crescer, e quem sabe se tornar nos próximos anos uma das grandes forças do futebol do estado do Paraná.

Neste ano, durante o Estadual, o time da Serpente Aurinegra chegou até a fase semifinal e garantiu a terceira melhor campanha da competição, ficando atrás apenas do campeão Athletico Paranaense e do vice Coritiba, clubes que figuram nas principais competições nacionais e internacionais. “A grave crise econômica dificultou um pouco a elaboração de um time mais competitivo para a Série D do Brasileiro. Mas nossa equipe foi valente, fez boa campanha no Paranaense e na primeira fase da Série D, conseguimos uma classificação de forma heróica no grupo mais qualificado com seis equipes brigando pelas quatro vagas, o famoso grupo da morte como se fala no futebol”, disse Valdinei.

Pelo Paranaense, o time disputou 15 jogos, colecionando nove vitórias, três empates e três derrotas. Durante o campeonato, o FC Cascavel anotou 29 gols, média de 1,9 por jogo. Todos esses números representam um aproveitamento de 66% no primeiro semestre do ano.

Quando o assunto é Brasileirão, o time cascavelense entrou em campo em 16 oportunidades, com oito vitórias, três empates e apenas cinco derrotas, onde marcou 25 gols, média de 1,5 por jogo e um aproveitamento total de 56%.

A soma das duas competições mostra um número sólido, já que ao todo em 2020 o time do FC Cascavel soma 31 partidas, com 17 vitórias, seis empates e oito derrotas, um aproveitamento total na temporada de 61%, com 54 gols marcado, ou seja, média de 1,7 por jogo.

Outro fator que chama a atenção é a força da Serpente quando atua no Estádio Olímpico Regional Arnaldo Busatto. Em 2020 foram 15 jogos em casa, sendo 10 vitórias, quatro empates e uma única derrota. Os atacantes aurinegros balançaram as redes 29 vezes quando jogaram em casa, uma média de 1,9 gol por jogo. Em seus domínios, a defesa também se mostrou sólida e sofreu apenas oito gols, média de 0,5 por partida, colecionando um saldo positivo de 21 gols.

Todos esses números refletem no aproveitamento de 75% enquanto mandante, estatística muito próxima do atual líder do Brasileiro da Série A, São Paulo, que possui 77,8% de aproveitamento jogando em casa.

“Mesmo com toda dificuldade, tivemos um bom resultado e 31 partidas disputadas. Em 2019 a equipe disputou apenas 12 jogos pelo Estadual. Este foi nosso primeiro ano de calendário cheio e agora começa o planejamento para 2021 que também será movimentado. Vamos procurar fortalecer nosso elenco para fazer um Estadual igual ou até melhor do que o deste ano, buscar as vagas para a Série D e Copa do Brasil novamente, onde em 2021 já iremos participar e temos como objetivo inicial passar por duas fases dessa competição nacional e marcar a passagem do FC Cascavel pela Copa do Brasil”, comenta o presidente da Serpente, sobre o planejamento para o próximo ano.

Com um elenco enxuto, mas muito qualificado, a comissão técnica utilizou ao todo 34 atletas diferentes durante a temporada, incluindo os recém-promovidos da base para o time profissional: os atacantes Robinho e Paulo Baya e o lateral-esquerdo Tiago.

Por falar em base, a grande sensação de 2020 sem dúvida foi o jovem Paulo Baya, tido como joia do clube, que neste ano marcou ao todo 10 gols, se tornando o artilheiro da temporada, e o segundo maior goleador da história do clube, atrás do também atacante Lucas Tocantins, que soma 11 tentos com o manto aurinegro. Não satisfeito, Paulo também fechou 2020 como o líder de assistência, com seis no total. Todos esses números do garoto do FC Cascavel foram alcançados em 27 partidas, com um total de 1.894 minutos dentro de campo.

O mandatário da Serpente Aurinegra, falou sobre a promessa do FC Cascavel que se destacou nesse ano. “O que fica é que tivemos uma jovem e grata revelação que é o Paulo Baya. É nosso projeto da base e demonstra que o trabalho está sendo bem feito. Temos também outra safra de jogadores que estão chegando e que vão fazer parte do elenco para o ano que vem, que são o volante Sergio, os laterais Lucas Paraguai e Carlinhos, os zagueiros Guilherme Borech, Gabriel e Tiago, além do goleiro Heverton”.

No quesito números de jogos e minutagem, outro dado interessante é do lateral-direito Wagner Libano, que já soma 52 atuações com a camisa da Serpente, sendo 30 neste ano. Atrás dele temos o volante Oberdan com 29 jogos na temporada. O camisa 8 é o atleta com mais minutos em campo, com 2.548 no total.

O levantamento feito pelo departamento de análise de desempenho do clube também mostra outros dados além das marcas apresentadas em 2020, como as médias de 57% de posse de bola, 394 passes por jogo e 13 finalizações em cada partida disputada na temporada.

É importante destacar que neste ano o Futebol Clube Cascavel ficou entre os 80 melhores times do futebol Brasileiro, somados os 20 times na Série A do Brasileirão, 20 equipes na Série B e 20 na disputa da Série C, mais os 32 classificados para a segunda fase da Série D, onde na classificação geral a Serpente Aurinegra terminou a sua participação na 17ª posição. “Nosso objetivo principal este ano era a conquista do acesso à Série C de 2021, mas entendemos que tivemos um crescimento significativo. Grandes conquistas começam com os primeiros passos e fizemos isso nesta temporada. Agora é fortalecer e trabalhar. É momento de resiliência, tranquilidade e avaliação do que foi feito. Vamos conversar com os nossos diretores para organizar e planejar nosso 2021. Já temos uma noção, mas no FC Cascavel administramos em conjunto, onde um colegiado decide. Tivemos um bom ano, ele só não foi maravilhoso, mas com toda certeza foi um bom ano”, finalizou Valdinei Silva.

Tabela de atletas utilizados, jogos, minutagem, assistências e gols na temporada 2020

Raul (26 jogos e 2295 minutos em campo)
Ricardo (6 jogos e 495 minutos em campo)
Libano (30 jogos, 2343 minutos em campo e 5 assistências)
Wesley (2 jogos e 43 minutos em campo)
Raul Cardoso (7 jogos, 299 minutos em campo e 1 assistência)
Afonso (28 jogos, 2414 minutos em campo, 2 assistências e 2 gols)
Douglas Mendes (4 jogos e 384 minutos em campo)
Eduardo Doma (6 jogos e 246 minutos em campo)
Marcel (21 jogos, 1517 minutos em campo e 2 gols)
Willian (24 jogos, 1655 minutos em campo, 1 assistência e 2 gols)
Quaresma (16 jogos, 1317 minutos em campo, 2 assistências e 1 gol)
Junior Prego (15 jogos, 1111 minutos em campo, 3 assistências e 1 gol)
Tiago (base) (2 jogos e 50 minutos em campo)
Oberdan (29 jogos, 2548 minutos em campo, 1 assistência e 3 gols)
Franco (12 jogos, 499 minutos em campo e 1 assistência)
Duda (27 jogos, 1882 minutos em campo e 1 assistência)
Arthur (6 jogos, 249 minutos em campo e 1 gol)
Gercimar (2 jogos e 68 minutos em campo)
Adenilson (14 jogos, 1187 minutos em campo, 6 assistências e 3 gols)
Willyan Sotto (9 jogos, 405 minutos em campo, 1 assistência e 1 gol)
Robinho (13 jogos, 748 minutos em campo, 1 assistência e 2 gols)
Pablo (14 jogos, 329 minutos em campo, 2 assistências e 1 gol)
Lucas Tocantins (12 jogos, 760 minutos em campo, 1 assistência e 6 gols)
Paulo Baya (base) (27 jogos, 1894 minutos em campo, 6 assistências e 10 gols)
Magno (21 jogos, 1310 minutos em campo, 1 assistência e 5 gols)
Henrique (30 jogos, 2107 minutos em campo, 1 assistência e 4 gols)
Robinho (Base) (3 jogos, 50 minutos em campo e 1 assistência)
Douglas Neto (6 jogos, 384 minutos em campo e 2 gols)
Paulo Sérgio (6 jogos, 468 minutos em campo e 4 gols)
Lucas Pajeu (4 jogos e 104 minutos em campo)
Marcelo (2 jogos e 59 minutos em campo)
Leu Itaperuna (6 jogos, 931 minutos em campo, 2 assistências e 4 gols)
Anderson Cavalo (6 jogos e 315 minutos em campo)
Neto Costa (10 jogos e 327 minutos em campo)

*Da Assessoria de Imprensa/Felipe Fachini

Deixe uma resposta